Aquecimento global impacta desenvolvimento de raízes

Dois fatores que desempenham um papel fundamental na mudança climática, o aumento do aquecimento global e os níveis elevados de ozônio, parecem ter efeitos prejudiciais sobre as raízes das plantas de soja, sua relação com os microorganismos simbióticos do solo e as maneiras pelas quais as plantas sequestram carbono.

Os resultados, publicados na edição de 9 de julho da Sience Advances, mostram pouca mudança nos brotos das plantas na superfície, mas alguns resultados perturbadores no subsolo, incluindo uma maior incapacidade de reter carbono, que é liberado na atmosfera como um gás de efeito estufa. Pesquisadores da North Carolina State University examinaram a interação do aquecimento e aumento dos níveis de ozônio com certos organismos subterrâneos importantes, fungos micorrízicos arbusculares (FMA), que promovem interações químicas de retenção de carbono no solo ao impedir a decomposição da matéria orgânica do solo, parando assim o escape de carbono do material em decomposição.

"A capacidade de sequestrar carbono é muito importante para a produtividade do solo, além dos efeitos prejudiciais do aumento dos gases de efeito estufa quando esse carbono escapa", disse Shuijin Hu, professor de patologia vegetal da NC State e autor correspondente do artigo.

Presente nas raízes de aproximadamente 80% das plantas que crescem no solo, os FMAs têm uma relação mutuamente benéfica com as plantas. Os AMFs extraem carbono das plantas e fornecem nitrogênio e outros nutrientes úteis ao solo de que as plantas precisam para crescer e se desenvolver.

No estudo, os pesquisadores estabeleceram parcelas de soja com aumento da temperatura do ar de aproximadamente 3 graus Celsius, parcelas com maiores níveis de ozônio, parcelas com maiores níveis de aquecimento e ozônio e parcelas de controle sem modificações. Os experimentos resultantes mostraram que o aquecimento e o aumento dos níveis de ozônio tornam as raízes da soja mais finas, pois economizam recursos para obter os nutrientes de que precisam.

"O ozônio e o aquecimento têm se mostrado muito estressantes para muitas safras, não apenas para a soja, e para muitas espécies de gramíneas e árvores", disse Hu. 'O ozônio e o aquecimento enfraquecem as plantas. As plantas tentam maximizar a absorção de nutrientes, para que suas raízes se tornem mais finas e longas, pois precisam explorar um volume de solo suficiente para obter recursos”, conclui.

Fonte: Agrolink

Data: 12/07/2021