Conheça as 10 culturas com maior valor bruto de produção

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou recentemente os números da Produção Agrícola Municipal (PAM) que contabiliza os principais produtos agrícolas em todos os municípios do país desde 1974.

Em 2020 o valor da produção agrícola do país atingiu R$ 470,5 bilhões, 30,4% maior que em 2019. As dez culturas com maior valor bruto de produção concentraram 85,7% do valor total gerado pela atividade agrícola. São eles, nesta ordem: soja, milho, cana-de-açúcar, café, algodão, arroz, laranja, mandioca, feijão e banana. Ainda completam a lista o trigo, fumo, tomate, batata, açaí e outros.

No ano passado o valor gerado pela soja cresceu 35,0%, totalizando R$ 169,1 bilhões, mantendo a liderança no ranking, sendo Sorriso (MT) o maior produtor, com 1,7% de participação no valor da produção. Nos últimos 25 anos, o rendimento médio da soja subiu quase 50%, passando de 2.199 quilos por hectare em 1995 para 3.275 kg/ha em 2020.

O milho, pela primeira vez desde 2008, passou para a segunda colocação, à frente da cana-de-açúcar. Sorriso (MT) é o maior produtor de milho e na cana aparece Morro Agudo (SP). A produção de milho cresceu 387,0% no período de 25 anos, atingindo o segundo maior valor de produção entre os produtos agrícolas, graças à alta no rendimento médio, que mais do que triplicou, chegando a 5.695 kg/ha em 2020. Já a cana-de-açúcar, apesar da redução (0,9%) na área cultivada em 2020, mais que dobrou sua área de cultivo nos últimos 25 anos, permitindo um aumento de 188,2% no volume produzido. O aumento da procura por carros flex e a ampliação da participação do país no mercado mundial de açúcar tiveram forte influência no crescimento dessa cultura.

No café o valor corresponde a R$ 27.2 bilhões, sendo a liderança de Patrocínio (MG) com 2.4% do VP. O algodão, em quinto, somou R$ 19.1 bilhões, com protagonismo de Sapezal (MT), com 12.2%.

O arroz, em decorrência da alta de preços, saltou para a sexta posição do ranking em valor de produção, somando R$ 11 bilhões e liderança de Uruguaiana (RS) com 5%. Na laranja, sétima colocada, o valor soma R$ 10.8 bilhões e destaque Casa Branca (SP). Na mandioca R$ 10.8 bilhões e aparece Porto Velho (RO) com 2.6% de participação.

Já o feijão subiu para o oitavo lugar, à frente da banana, com R$ 10.7 bilhões e destaque para Paracatu (MG) e na banana aparece Bom Jesus da Lapa (BA).

Fonte: Agrolink

Data: 27/09/2021