Falta de insumos ameaça safra de grãos 21/22

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária, do Senado Federal, vai debater o risco de falta de insumos para o plantio da safra 2021/2022, na próxima quinta-feira (21). Segundo o senador Zequinha Marinho (PSC-PA), autor do pedido, a falta desses produtos pode comprometer a produção rural, reduzindo o volume e a qualidade da safra de grãos, principalmente soja e milho, impactando toda a cadeia produtiva e aumentando a inflação dos alimentos.

“A ameaça de falta de insumos para o plantio da safra 2021/2022 é motivo de preocupação. Nos últimos meses, surgiram informações de sojicultores sobre atrasos na entrega e, o que é mais preocupante, do cancelamento de contratos e de pedidos de compra de fertilizantes e defensivos; entre eles, do herbicida glifosato, um dos mais utilizados no planeta", disse.

Devem participar do encontro a Companhia Nacional de Abastecimento, a Associação Brasileira dos Produtores de Soja, representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, do Ministério das Relações Exteriores e do Ministério de Minas e Energia. O evento será interativo: os cidadãos podem enviar perguntas e comentários pelo telefone da Ouvidoria do Senado (0800 061 2211) ou pelo Portal e-Cidadania, que podem ser lidos e respondidos pelos senadores e debatedores ao vivo.

“Sem fertilizantes e defensivos, as lavouras perdem produtividade, que é vital para a garantia da renda dos produtores e da sustentabilidade social e ambiental, pois representa produzir mais alimentos com menor utilização de recursos e de área de plantio”, argumentou.

Na semana passada o presidente Jair Bolsonaro disse temer a falta de fertilizantes em função da diminuição da produção pela China e pela crise política em Belarus, dois dos principais fornecedores do Brasil. O país importa cerca de 85% dos insumos que usa. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, também este reunida com representantes da cadeia de insumos para tratar do problema.

Para a safra 21/22 a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) projeta um recorde de 288 milhões de toneladas de grãos, crescimento em torno de 14,2% em comparação com o ciclo anterior. A estimativa da área a ser cultivada no país é de 71,5 milhões de hectares, uma previsão de crescimento de 3,6%. O destaque é a soja, com expectativa de 140 milhões de toneladas e o milho que deve ter alta de produção e somar 116,3 milhões de toneladas.

Fonte: Agrolink

Data: 18/10/2021