Frete do milho sobe 17% em Mato Grosso

Diante das primeiras áreas colhidas em Mato Grosso, a tendência da demanda por carretas é, historicamente, aumentar. Assim, o preço do frete no estado também aumenta, já que a maior parte da produção matogrossense é escoada pelas rodovias.

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) destaca que para a cultura do milho, este período acontece entre a segunda quinzena de junho e a última de julho, em que a colheita costuma apresentar maiores evoluções semanais, e quando a necessidade de escoar o grão aumenta.

No entanto, a safra 20/21 é atípica, desde seu início com o atraso na semeadura ao valor do frete, que também se mostra atípico com os altos preços praticados em 2021. Para se ter ideia, o preço do frete em MT no primeiro quadrimestre do ano apresentou alta de 17,35% se comparado a média dos últimos 3 anos e de 16,16% ante o ano de 2020.

Levando em consideração a origem em Sorriso com destino a Santos (SP), na safra passada o valor médio era de R$ 277,00 a tonelada. Nesta o valor já alcança R$ 330,00 a tonelada. A média das últimas três safras é de R$ 281,67 a tonelada.

"Deste modo, o valor do frete pode ganhar força com o avanço da colheita e a necessidade de escoamento para o cumprimento dos contratos, podendo atingir patamares ainda mais elevados", aponta o boletim.

Fonte: Agrolink

Data: 09/06/2021