Grãos: dólar em alta deve impulsionar bons negócios aos produtor em 2021

A tendência em função da alta do dólar é de que os produtores brasileiros sigam negociando as principais commodities com por preços firmes ao longo do ano. A previsão ocorre após a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) ter informado que a safra de grãos 2020/2021 pode chegar a 264,8 milhões de toneladas, alta de 3% em comparação com o ciclo passado.

A soja terá um incremento de 3,4%, podendo resultar em 133,7 milhões, destaca Maurício Ferreira Lopes, gerente de Levantamento e Avaliação de Safras da Conab. “Apesar dos problemas climáticos, a previsão é de que tenhamos uma safra recorde, muito por conta do aumento de área. Como o nosso mercado têm sido favorável, muito em função do dólar, a safra será de bons preços para o produtor”, disse ao Agrolink.

A estimativa de uma safra recorde, ocorre em meio a um cenário distinto provocado pela pandemia. Contudo, o gerente da Conab reafirma a pujança do setor, responsável por puxar a economia brasileira. “A despeito da pandemia, o nosso agro não parou. Tivemos alguns problemas em cadeias de suprimento, mas ainda mantivemos o trabalho no campo, o manejo nas lavouras, assim como a compra de insumos. Esse trabalho ressalta o profissionalismo e a capacidade dos nossos produtores”, destaca.

Fonte: Agrolink

Data: 14/01/2021