Milho tem oitava alta consecutiva no custo de produção

De acordo com o relatório do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), em agosto de 2021, o custeio do cereal para a safra 21/22 apontou alta de 2,09%. Pautado, principalmente, pelo cenário atual da comercialização dos insumos no estado e a alta no dólar de 1,84% (ago/21 ante a jul/21). Cabe destacar que a alta no preço dos insumos, principalmente fertilizantes, levou a uma desaceleração na comercialização em MT em agosto de 2021

Para se ter ideia, a safra 21/22 teve o início das negociações mais adiantado entre as últimas safras, influenciado pela RT favorável no início do ciclo. Porém, foi perdendo força com a RT ficando desfavorável para o produtor no decorrer da temporada, uma vez que no mês de agosto a RT do MAP e 20.00.20 se encontram 69,76% e 37,60% acima do que foi visto em jan-21, respectivamente.

Assim, foi observado pelo Imea que os cerealistas estão mais cautelosos em suas negociações, aguardando uma melhor oportunidade para travar as suas compras de insumos para o cereal.

Fonte: Agrolink

Data: 22/09/2021