Soja puxa exportações de outubro

Quatro produtos puxaram as exportações do agronegócio brasileiro em outubro. Soja, carnes de frango e suína e o café foram os destaques. A soja em grão foi responsável por US$ 1,72 bilhão, alta de 94,3%, correspondendo a 3,3 milhões de toneladas, um avanço de 35,9%. O preço médio de exportação atingiu US$ 522 por tonelada, incremento de 42,9% na comparação com outubro de 2020.

As proteínas vem na sequência. Na carne suína foram observados recordes. As vendas externas chegaram a US$ 215,98 milhões (+ 8,9%), com expansão da quantidade exportada (+ 11,5%), mas queda no preço médio de exportação (- 2,3%). As vendas externas de carne de frango foram de US$ 700,08 milhões (+ 60%), resultado tanto do aumento da quantidade exportada (+ 23,4%) quanto do preço médio de exportação (+ 29,6%).

Por fim o setor cafeeiro registrou vendas de US$ 606,71 milhões (+ 18,9%), apesar do recuo de 15,9% do volume exportado, que compensada pela elevação dos preços médios de exportação (+ 41,5%).

A China se mantém como a principal compradora dos produtos do agronegócio brasileiro. De cada US$ 4 exportados, US$ 1 foi para o país asiático, o que significa exportação de US$ 2,25 bilhões para o mercado chinês em outubro/2021 (+ 6,2%). A China foi o destino de 80,8% da soja em grão brasileira exportada em volume (2,7 milhões de toneladas; +35%).

O país asiático continua sendo o principal país importador de carne suína brasileira, embora as vendas do produto in natura tenham diminuído para US$ 78,18 milhões. O mercado chinês também foi importante importador da carne de frango in natura brasileira, com US$ 110,88 milhões (+22,4%).

Em outubro as exportações brasileiras registraram valor recorde de US$ 8,84 bilhões, motivada pela alta dos preços internacionais das commodities, que cresceram 25,8%. O valor é 10% superior aos US$ 8,036 bilhões exportados no mesmo mês de 2020. Já as importações de produtos do agronegócio subiram de US$ 1,2 bilhão, em outubro/2020, para US$ 1,4 bilhão, em outubro/2021 (+16,8%). Vários produtos importados apresentaram altas expressivas do preço médio, como trigo (+15,5%), óleo de palma (+68,7%) e azeite de oliva (+26,3%).

Fonte: Agrolink

Data: 17/11/2021